Leitura de Harry Potter na máquina de ressonância magnética (fMRI)

Um viés de observação dos fenômenos literários que ganha espaço em alguns centros de pesquisa norte-americanos e europeus, embora ainda engatinhe no Brasil, é a perspectiva dos estudos cognitivos de literatura, que em alguns grupos de pesquisa tem assumido a defesa de novos campos de análise do fenômeno literário, tais como os estudos culturais cognitivos (cognitive cultural studies), a neuroestética e outros. Tais abordagens deslocam o olhar do conteúdo e da forma para a experiência cognitiva da leitura e da fruição estética.

Ler mais

Elizabeth Jameson: a beleza perfeita de um cérebro imperfeito

Elizabeth Jameson é uma artista especializada na interseção entre arte e ciência. O diagnóstico de ser portadora de esclerose múltipla, marcou o início de sua produção artística com obras desenvolvidas a partir de seus próprios exames médicos.

Ler mais

Infância e Natureza – A criança em conexão com o momento presente

O Museu Itinerante de Neurociências (MIN/UFRJ), do Ciências e Cognição, oferece dinâmicas de (re) conexão com a natureza para crianças e adolescentes das escolas do Rio de Janeiro (públicas e privadas), utilizando práticas de meditação de mindfulness (programa de meditação laica) e atividades colaborativas com o Kablan – Jogo orgânico e cooperativo que estimula a criatividade, promove a integração e o engajamento dos participantes, utilizando-se gravetos e madeira de materiais reaproveitados.

Ler mais