Educação Musical para alunos surdos

Educação Musical para alunos surdos

Cristina Silva Kreutzfeld

 

Slide1

Dar aulas de Educação Musical para uma turma de alunos surdos de uma escola pública foi uma experiência muito gratificante e inesquecível.  O primeiro desafio foi preparar as aulas com os mesmos conteúdos, porém com algumas mudanças e adaptações das atividades.

Slide2

As aulas eram em Libras, já que sou intérprete de Libras, e todos os alunos estavam sendo alfabetizados de forma bilíngue, em Português e Libras. Cada aula tinha duração de 50 minutos.

Ao ver os instrumentos musicais de percussão que foram levados para a sala de aula, logo os alunos se interessaram em manuseá-los e sentir a vibração produzida ao tocar cada instrumento.

Slide3

Poucos alunos tiveram a oportunidade anteriormente de ter contato com instrumentos musicais. Muitos não sabiam os nomes dos instrumentos. A partir daí, eles puderam aprender os nomes e soletrá-los em Libras.

As atividades eram baseadas no movimento corporal e na vibração dos instrumentos.  Uma das atividades, muito utilizadas por diversos educadores, era de caminhar na sala, dando passos de acordo com o pulso que era marcado pelo tambor. Alguns alunos andavam baseados no contato visual do toque do tambor e outros pela vibração.  Durante a atividade, o aluno que tocava o tambor tinha a liberdade de acelerar ou diminuir o andamento do toque.

Outra atividade que despertava muito interesse nos alunos era a de timbre. Com instrumentos ou objetos de diferentes materiais em cima da mesa, cada aluno, com os olhos vendados e mãos apoiadas na mesa para sentir a vibração, tinha que adivinhar qual instrumento ou qual objeto estava sendo tocado. Esta era uma atividade com grandes desafios, e com o tempo, se tornou fácil.  A maioria acertava o nome dos objetos/instrumentos.

As atividades não param por aí. Muitas outras propostas podem ser realizadas com alunos surdos. Precisamos refletir e experimentar diferentes possibilidades.

Slide4

 

Possui mestrado em Arts in Music – Campbellsville University, KY, EUA (2012), Graduação em Licenciatura em Música pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro – UNIRIO (2008), além de cursos complementares em educação musical, flauta transversal, educação especial, Libras, línguas clássicas e modernas. Atualmente é professora e coordenadora de Educação Musical do Colégio Pedro II, Campus Realengo I. Intérprete de Libras na Igreja de Barão da Taquara.  Tem experiência como flautista, regente de coro infantil e pianista acompanhadora.

Link permanente para este artigo: http://blog.cienciasecognicao.org/?p=749

1 comentário

  1. Gostei muito do conteúdo e fico no aguardo dos próximos.

Deixe uma resposta

Seu e-mail não será publicado.